• 26240006 1678242365554769 1234066487775539187 o 890x668
  • 10919770 399223626910995 1233225898771347685 o
  • mural
  • 1 890x501
  • 21768250 1572232952822378 6653725446142285100 n 890x668
  • 12316666 526928910807132 3002402164624395757 n
  • 10256234 699239676788381 6386711702528689137 n
GEPE - Grupos de Entreajuda para a Procura de Emprego
Assunto: GEPE - Grupos de Entreajuda para a Procura de Emprego
Data de Envio: 0000-00-00 00:00:00
Edição N #: 18
Conteúdo:
Maio 2013
newsletter_header

1

 

A Câmara Municipal do Funchal vai dinamizar, através da Sociohabitafunchal E.M., os grupos de entreajuda para a procura de emprego. Os GEPE não oferecem vagas, nem dão subsídios, mas colocam pessoas desempregadas a partilhar experiências, a trocar ideias sobre como encontrar trabalho, a falar do desalento e da perda que sentem. O protocolo com a entidade promotora a nível nacional, o Instituto do Padre António Vieira, foi assinado a 07 de Março de 2013.

 

Lançados por todo o País, os GEPE do Funchal serão dinamizados pela empresa municipal que gere os bairros sociais e vão funcionar nos mesmos moldes de outros grupos de entreajuda, são sobretudo um apoio para os que sentem mais o impacto do desemprego. Os grupos são abertos, participa quem quer, mas assim que se aceita o compromisso é importante a frequência às reuniões.

 

O primeiro objetivo é quebrar o isolamento, contrariar a tendência para a depressão que, quase sempre, aparece após um processo de despedimento. Mesmo sem vagas de emprego e sem dinheiro, estes grupos podem funcionar como âncora para quem os integra.

 

Tal como noutros grupos de entreajuda, não são muito grandes (entre 8 a 12 membros), sendo orientados por um animador. Quem escolher ter a função animador deve obedecer a um perfil. Além de se tratar de um trabalho voluntário, os animadores devem ser sólidos e estáveis psicologicamente, ter bom senso, sensibilidade. É essencial que o animador dos grupos de entreajuda tenha, no seu percurso, uma experiência de desemprego.

 

Para lá do apoio psicológico, o encontro frequente das pessoas desempregadas é também uma maneira de facilitar uma rede de contactos. O emprego, muitas vezes, aparece porque se sabe que estão a recrutar para determinada empresa ou porque se conhece alguém. As estatísticas indicam que as possibilidades de encontrar trabalho aumentam conforme se amplia a rede de contactos.

 

No Funchal, os GEPE serão dinamizados pela Sociohabita, e não se destinam apenas aos desempregados dos bairros sociais, são abertos a quem quiser participar.

 

     531597 590439950985895 971260098 n  Imagem1

 

Marta Caires - Diário de Notícias da Madeira

 

1

Sociohabitafunchal, EEM - Rua 5 de Outubro 61 - 9004-512 Funchal  -  NIF 511237880